21 de set de 2013

HAITI fomenta o turismo, visando caminhar pelas próprias pernas, afirma Ministra Stéphanie Balmir Villedrouin


O ministério de Turismo do Haiti lançou uma campanha global de comunicação para promover o país como destino turístico e voltar a situar seu território no mapa dos viajantes regionais e mundiais. Com um novo logo e slogan, o ministério pretende transmitir uma imagem que valorize o país como atração turística de lazer e, por conseguinte, atrair investidores.
“Consciente do papel que o turismo desempenha no processo de desenvolvimento, dei instruções ao ministério para que faça todo o possível para garantir que o sector estenda seus efeitos multiplicadores, com impactos positivos na agricultura, artesanato e emprego”, afirmou o presidente haitiano Michel Martelly.
Labadee, Haiti (Foto: Wikimedia Commons)


Segundo ele, o ministério está “colhendo resultados alentadores, como a cegada de grandes redes de hotéis internacionais, que refletem o interesse crescente no Haiti”, garantiu, em referência aos anúncios das redes NH, Choice Hotels e Occidental Hoteles, que abrirão suas portas na capital do país neste ano.
Entre as medidas governamentais está o Plano de Desenvolvimento da região turística do sul do país, com apoio do México através da Fonatur (Fundo Nacional de Fomento do Turismo). Segundo o ministério haitiano, o programa tem como objetivo a criação de zonas turísticas onde o visitante poderá passar férias completas, com opções de tours a lugares de valor patrimonial, cultural e natural.
De acordo com o cronograma anunciado, o plano terá início no sul haitiano e os trabalhos deve se estender até dezembro. Em uma segunda fase, o projeto também deve ser aplicado em distritos localizados no norte do país, visando benefícios econômicos e a geração de postos de trabalho.
A capital Porto Príncipe já habilitou seu aeroporto internacional Toussaint Louverture, então destruído pelo terremoto de janeiro de 2012. Uma das iniciativas para atrair visitantes ao Haiti foi o diálogo com o governo do país vizinho, a República Dominicana, para estabelecer programas de colaboração para um turismo complementar e culturalmente diverso, com pacotes que incluam os dois países da ilha Hispaniola como destino.
Renascimento do Turismo
“Anos atrás na indústria [turística], costumávamos mandar pessoas ao Haiti”, disse Ellen Tucker da empresa Freedom Tours. “De fato, havia um Club Med muito conhecido lá para onde mandávamos muitos turistas”, afirmou, dizendo que os operadores turísticos gostariam que o país tivesse potencial turístico para receber mais visitantes no futuro.
“O Haiti é lindo, mas claro que todos sabemos das turbulências para as quais eles estão passando agora”, disse a operadora turística, complementando que o país se “tornou um lugar que não é adequado para visitantes neste momento. Mas esperamos que volte a ser novamente”.
Cruzeiro da Royal Caribbean International na praia privada em Labadee
De fato, a instabilidade política do país fez com que este que era um dos grandes centros de turismo no Caribe afastasse os empreendimentos hoteleiros. Durante a estada de tropas militares brasileiras, a meados dos anos 60, pela Força Interamericana de Paz (FIP), os soldados passavam férias no Haiti. Hoje, o fluxo é inverso. O Haiti praticamente não aparece nos guias de turismo desde que bandeiras hoteleiras como o Holiday Inn e Hilton abandonaram o país.
A empresa de cruzeiros Royal Caribbean Cruise Lines, por sua vez, atua desde 1985 na península de Labadee, no norte haitiano, e anunciou a expansão das cabanas de sua praia privada. Em sua seção de “Destinos”, no entanto, a companhia não menciona que a praia de Labadee está no Haiti, mas sim no “Caribe Ocidental”. O parque aquático no local é citado como “um destino privado e reservado só para os hóspedes” da empresa de cruzeiros.
“Gostamos de pensar que somos inclusivos, mas reconhecemos que isso é só para nossos hóspedes,  o que de alguma forma nos torna exclusivos”, justificam. A empresa não revela as condições nas quais adquiriram a praia privada onde mantém seu empreendimento turístico, mas garante que contribuiu com US$ 2,5 milhões para ajudar o país.
A companhia aproveitou o cenário de águas celestes e mornas, com um fundo de montanhas e abundantes florestas, para a criação de um complexo turístico, com parque aquático e um mercado de artesanato haitiano, e recebe cerca de 600 mil visitantes por ano. Mergulho, snorkel e excursões culturais também são oferecidas, com tours na vila de Labadee ou passeios históricos sobre a história da cana-de-açúcar, do rum e do café.
Nova imagem
Para a ministra de Turismo, Stéphanie Balmir Villedrouin, é importante que os visitantes “conheçam a outra cara do Haiti, a que quase não é mostrada nos meios de comunicação”. A outra cara do Haiti, segundo ela, é um “país rico em cultura, rico em gastronomia, rico em patrimônio, cheio de lugares belos, de praias virgens e de paisagens de montanha incríveis esperando ser descobertas”.
“A melhor forma de colaborar com o Haiti é contribuir para que nosso país caminhe com suas próprias pernas. O turismo é um setor chave para conseguir esta autonomia através do desenvolvimento da economia, e para a entrada de muitos haitianos no mercado de trabalho”, afirmou Villedrouin.
Novo logo para promover turismo no Haiti (Imagem: Ministério de Turismo)
Um novo logo para divulgar o turismo no país foi escolhido através de um concurso realizado nas redes sociais, entre março e abril. “Era importante envolver a maior quantidade de gente possível neste processo, tanto do Haiti como da diáspora haitiana para construir juntos essa nova imagem”, explicou a ministra de Turismo.
O logo vencedor é o “choublak” (flor de hibisco), que mostra a palavra “Haiti”, decorada com a flor e um sol. Segundo o autor da imagem, Xavier Delatour, “o desenho é a evocação da choublak, nossa flor nacional, linda e também conhecida por suas propriedades medicinais”. Segundo ele, todos os haitianos já viram colibris se alimentando de uma destas flores.
“O hibisco decora muitas casas, ruas de todo o país e é um símbolo de nossa paisagem”, explicou Delatour. O lema escolhido para atrair a atenção dos turistas foi ‘Experience it!’, de Diana Pierre-Louis, que resume a poderosa e intensa sensação estar no Haiti pela primeira vez. Em espanhol, o slogan será “¡Vive la experiencia!”; em francês, “Vivez l’expérience!” e em creóle haitiano “Hacer la pou’w el”.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger