25 de jan de 2014

RESTAURAÇÃO DO SOBRADO AGUIAR VALLIM - Bananal-SP



A fim de restabelecer o valor histórico e artístico de um imóvel construído no século XXI, adaptar sua relação urbana com as áreas públicas limítrofes e preservar o aspecto estrutural da edificação, o escritório paulistano VD Arquitetura partiu dessas premissas principais para vencer o concurso público – promovido pela Secretaria da Cultura de São Paulo –, que buscava a melhor proposta para o restauro do Sobrado Aguiar Vallim, situado no município de Bananal, no interior do estado.


Construído por volta de 1850, o sobrado é um exemplar urbano típico da maneira de viver dos fazendeiros de café do período, que possuíam, além das luxuosas sedes de fazenda, mansões nas cidades. Tombado pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, em 1972, o bem arquitetônico evidencia a simplicidade do volume externo com destaque para as 16 janelas que percorrem o seu perímetro. As paredes externas são em adobe e taipa de pilão, assentadas sobre embasamento de pedra. Já as internas, em adobe e parede francesa, no pavimento superior.

Na proposta, os arquitetos apostaram na reconstituição dos aspectos artísticos, espaciais e construtivos – até o limite possível – para adequar o edifício ao novo uso. Para isso, o projeto prevê a ampliação do espaço lindeiro com a criação de um percurso contínuo e aberto entre a Praça Rubião Junior à Praça da Matriz e a retirada de um muro frontal. O trajeto objetiva estimular os usuários a passar pelo interior do sobrado, a fim de valorizar o saguão de acesso e enaltecer os novos espaços de convivência. Além disso, a área livre foi reorganizada para contemplar os acessos de veículos de autoridades, reposicionar os banheiros públicos, propiciar a extensão do café ao espaço aberto e promover o arranjo paisagístico.

O edifício é dividido em cinco seções, correspondendo à parte central ao saguão de acesso. Este grande ambiente de recepção manifesta o caráter de representação social deste edifício. Dois lances de escada paralelos, cada um de um lado, convidam ao início do percurso ao pavimento superior. Alcançado o primeiro patamar, outros dois lances reúnem o cortejo em outra parada, de onde é possível uma última vista de todo o saguão. Novamente, a escada se abre em dois outros lances permitindo atingir o pavimento superior, dando acesso, de ambos os lados ao salão principal da residência.

Para o restauro estrutural, imaginou-se utilizar uma grande treliça metálica apoiada sobre colunas metálicas, que se encontram no corpo central do edifício. Cada conjunto de apoios é formado por quatro colunas, fixas em largas sapatas, que asseguram maior estabilidade e melhor distribuição de cargas no solo. Além da eliminação da sobrecarga sobre as paredes externas, com esta estrutura suplementar será retirado todos os escoramentos das tesouras, que permitirá reconstituir a configuração característica de todos os ambientes da residência.

A equipe propôs também a instalação de treliças à mostra nas duas galerias para eliminar a reconstituição dos forros nos ambientes. Segundo os arquitetos, a solução aliada à presença dos elevadores constituiria a expressão denotativa da atualização do edifício.

A organização do concurso entregou ao escritório R$ 700 mil pelo primeiro lugar. Ainda não há previsão para o início das obras.

CONFIRA AQUI A ÍNTEGRA DO MEMORIAL DESCRITIVO!

RESTAURAÇÃO DO SOBRADO AGUIAR VALLIM
Arquitetura
VD Arquitetura – Vera Lúcia Domschke; Marcos José Carrilho

Colaboradores Ana Carolina Sucena; Caio Kurimoto Montanheiro; Georgia Lafraia Lobo; Maria Emília Marinho de Barros

Estagiários José Tadeu Ferreira Junior; Victor Tetsuo Hirata Batista

Ano 2013
Área da praça 5.382 m2
Área do pátio atrás do sobrado 822 m2
Área do sobrado 1.631 m2
Local Bananal, São Paulo

www.vdarquitetura.com.br  -divulgação

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger