3 de abr de 2014

Amadeus indica crescimento na atividade turistica mundial

A Amadeus, parceiro tecnológico líder para a indústria de viagens e turismo, apresentou um novo relatório sobre tendências de viagens globais. A indústria de viagens está preparada para um período de crescimento sustentado ao longo da próxima década, impulsionado em parte pela emissão global da China, alcançando os 20% em 2023.
Shaping the Future of Travel: as macros tendências que impulsionam o crescimento da indústria na próxima década, prevêem uma perspectiva macroeconómico optimista para as viagens globais nos próximos 10 anos, com a indústria projectada para ultrapassar o PIB global em cerca de 2%; crescendo 5,4% por ano. Para além disso, o sector das viagens global está já definido para crescer a uma taxa significativamente mais rápida do que durante a crise financeira, onde o crescimento foi de apenas 4,1% por ano.
Ao mesmo tempo, o crescimento da China em viagens, que recentemente em 2005 foi de apenas 1%, vai-lhe permitir ultrapassar os EUA para se tornar o maior mercado emissor do mundo já este ano, com o número de famílias chinesas capazes de pagar a sua viagem no exterior a duplicar nos próximos 10 anos, alcançando os 220 milhões. A China irá também tornar-se no maior mercado de viagens domésticas em 2017, impulsionada em grande parte pelo rápido aumento do PIB, o aumento do nível de emprego e aumento dos gastos do consumidor.
 

No entanto, o relatório indica que o crescimento não será exclusivo da China, com as previsões a evidenciar outros grandes mercados emergentes, como a Rússia, Brasil, Índia, Indonésia e Turquia que irão também ter um crescimento médio anual de 5% ao longo dos próximos 10 anos. O que será impulsionado em grande parte pelo aumento da riqueza e pela mudança nos hábitos de consumo.
Escrito pela Oxford Economics, líder mundial em conjectura global e análise quantitativa para empresas e governos, o estudo baseia-se em modelos macroeconómicos detalhados, bem como entrevistas qualitativas com especialistas do sector, a previsão de uma grande variedade de tendências futuras, incluindo espaços de crescimento e oportunidades que irão moldar os próximos 10 anos de viagens.
Algumas das principais conclusões do relatório incluem:
As viagens de negócios irão ressaltar enquanto as ligações entre o Oriente e o Ocidente estimulam uma nova procura, mas as viagens de negócios a ocidente de curta duração não vão chegar aos níveis do pré-2008, até 2018. A Ásia irá registar 55% do crescimento do turismo de negócios global nos próximos dez anos.
O crescimento de viagens aéreas irão liderar economias emergentes como a Índia, Indonésia e Rússia, com o transporte aéreo não pertencente à OCDE a ultrapassar o dos membros da OCDE, pela primeira vez, tornando-se a maior fonte de tráfego aéreo mundial em 2023.
A procura por hotéis internacionais ultrapassou a procura doméstica desde a recessão, sugerindo que a redução de gastos em hotéis domésticos é o “novo normal”. Ao mesmo tempo, os fluxos de turistas que pernoitam na Ásia devem crescer quase quatro vezes mais rápido do que os da Europa ao longo dos próximos dez anos – mas a Europa irá continuar a ser dominante.
fonte Amadeus.com
 



 
Share:

0 comentários:

Postar um comentário