12 de out de 2014

Moradores da Ilha Diana passarão por capacitação para promover o Turismo de Base Comunitária -Santos-SP

Num refúgio tipicamente caiçara, comunidade vive a poucos minutos do Centro Histórico de Santos (SP), umas das principais cidades da atual economia brasileira
Com o objetivo de qualificar os moradores para atuarem como monitores de turismo receptivo, iniciativa contribui para a profissionalização e geração de renda da comunidade
Inicia-se no próximo dia 14 de outubro o curso de capacitação monitor de turismo receptivo para os moradores da comunidade da Ilha Diana, na cidade de Santos, com foco nos monitores que atuam no Projeto Vida Caiçara – Educação Ambiental e Turismo de Base Comunitária, lançado oficialmente em junho deste ano.
O curso é uma iniciativa da Embraport, um dos maiores e mais modernos terminais portuários privados do país, instalado na margem esquerda do Porto de Santos. A empresa responsável pela execução do curso é a Caiçara Expedições, especializada em roteiros e projetos de turismo.


O Turismo de Base Comunitária diz respeito a atividades e serviços ligados a comunidades que recebem visitantes. Muito mais que um segmento de turismo, o turismo de base comunitária é visto como uma ferramenta ou um instrumento de organização das comunidades, que exige que as famílias se envolvam de forma ativa em todas as etapas do trabalho: no planejamento, na execução, na avaliação e no monitoramento das atividades.
A capacitação de monitores de turismo receptivo tem por objetivo preparar o morador para o acompanhamento, orientação e transmissão de informações a pessoas ou grupos, durante percurso, adotando todas as atribuições de natureza técnica e administrativa necessárias à fiel execução de um roteiro. No total, 15 vagas serão disponibilizadas para os moradores entre os meses de outubro e dezembro, com carga horária de 48 horas.
Segundo Renato Marchesini, Gestor de Projetos da Caiçara Expedições, perante os visitantes, os monitores são os representantes da idoneidade e qualidade do Atrativo Turístico, cabendo a eles portanto, zelar pelo nome do mesmo, pois na condição de representantes, qualquer mau serviço será de imediato atribuído ao atrativo turístico, que obviamente não partilhará da culpa. Por outro lado, todo o reconhecimento favorável ao trabalho do condutor, refletirá sobre o Atrativo Turístico de maneira muito positiva.“O monitor X da Ilha Diana é muito bom!”. Portanto o objetivo é assegurar que o visitante fique satisfeito, ou melhor, supere suas expectativas.
contato  contato@caicarexpedicoes.com
divulgação
 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger