25 de mai de 2015

Artesanato para a Europa - São Paulo-SP

De bijuterias feitas com sementes a imagens de santos produzidas com jornal, as peças das artesãs da Cooperaldeia, de São Paulo, fazem sucesso em feiras do velho continente.



São Paulo – Entre sacolas, bijuterias, mochilas e até santos, o trabalho das artesãs da Cooperaldeia, cooperativa de mulheres do bairro de Americanópolis, em São Paulo, chegou à Europa no ano 2000 e desde então é presença frequente nas feiras de artesanato do velho continente.
Divulgação

Espindola na Alemanha: exportação aumenta autoestima das artesãs
Foi pelo esforço de Deli Espindola, coordenadora da Cooperaldeia, que as peças das mulheres da periferia da capital paulista ganharam o mundo. Começou com a Feira Tricontinental de Artesania, de Tenerife, na Espanha. Depois, veio a Feira Internacional de Artesanato de Lisboa, em Portugal. Daí, o artesanato da Cooperaldeia chegou também a feiras na Alemanha, Itália e França.

Espindola explica que, como as vendas externas ocorrem, principalmente, nas feiras e nem tanto ao decorrer do ano, o ganho financeiro acaba não sendo tão grande. “O maior benefício é a autoestima. Tem essa coisa brasileira de que se foi para fora é mais valorizado”, diz Espindola sobre a principal vantagem que a exportação trouxe às participantes da cooperativa. “Aumenta muito a autoestima dessas mulheres”, afirma.

A Cooperaldeia é formada por cerca de 20 mulheres. A maioria delas, conta Espindola, tem pouca ou nenhuma formação escolar. A cooperativa, criada em 2009, é fruto do projeto Aldeia das Mulheres, que desde 1998 oferece capacitação a mulheres carentes em Americanópolis.

Lá, elas aprendem a costurar e a produzir peças de artesanato. “As bijuterias com sementes fazem muito sucesso”, diz a coordenadora sobre as vendas nas feiras estrangeiras. Outro artigo que vende bem, revela, são imagens de santos feitas em jornal e papel marche. “Em Portugal, elas tem uma demanda muito grande”, aponta.

Além dos produtos já mencionados, as mulheres da Cooperaldeia também produzem sacolas retornáveis, lixeiras para carros, porta-lápis, necessaires e colchas, entre outros itens. O produto mais caro negociado no exterior, conta a coordenadora, foi uma colcha toda bordada à mão. O produto foi vendido por 500 euros.

No Brasil, as mulheres da Cooperaldeia fazem diversos trabalhos por encomenda. Entre os clientes da cooperativa há lojas especializadas em artesanato e também grandes empresas, como a Sabesp e a Johnson & Johnson. O rendimento das cooperadas varia de acordo com a produção de cada uma, podendo ir de um salário mínimo (R$ 724) a R$ 2 mil.

Contato
Cooperaldeia
Site: www.cooperaldeia.com.br
E-mail: cooperaldeia@yahoo.com.br
Tel.: +55 (11) 5565-0794

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger