A Rússia subiu 18 degraus e chegou à 45ª posição no “Relatório de Competitividade em Viagem e Turismo 2015”, publicado pelo Fórum Econômico Mundial esta semana. O ranking, que avalia um total de 141 países, é elaborado a cada dois anos pelo Fórum Econômico Mundial e pelo Strategy Partners Group.


Segundo os autores do estudo, as viagens à Rússia ficaram vantajosas depois da desvalorização do rublo: desde maio de 2014, o valor da moeda nacional em relação ao dólar norte-americano caiu 44%. A hospedagem em hotéis ficou, assim, mais barata. Em 2013, o FEM indicava o custo elevado das férias como um dos principais problemas do mercado turístico da Rússia.
Atrativos naturais e culturais do país também ajudaram a melhorar avaliação global da Rússia: nessas áreas, o país ocupa as 34ª e 21ª posições, respectivamente. Além disso, os consultores detectaram uma melhoria em termos de comunicações aéreas (22º lugar).
No entanto, um dos maiores problemas do país são os severos requisitos exigidos aos estrangeiros para a obtenção do visto (120º lugar), ficando atrás de Vietnã (115º lugar) e Suriname (119º lugar). “A abolição do regime de vistos para os europeus aumentaria em duas vezes a entrada de turistas no país, mas agora isso é impossível", diz o primeiro vice-presidente da Associação dos Operadores Turísticos da Rússia, Vladímir Kantorovitch.
Queda pós-Crimeia
Grande parte da coleta dos dados foi feita antes dos eventos relacionados com a reanexação da Crimeia à Rússia. “Só com base no próximo ranking e posição ocupada pela Rússia é que será possível avaliar o potencial impacto dos atuais fatores macroeconômicos e geopolíticos”, diz Aleksêi Prazdnitchnikh, sócio do Strategy Partners Group.
Segundo a Rosturism (Agência Federal de Turismo), os dados de 2014 mostram que o número de viagens turísticas à Rússia totalizou 25,4 milhões – 10% a menos do que em 2013. Já o total de turistas estrangeiros no país, foi de 2,6 milhões, ou seja, 3% menor do que no ano anterior.
A forte queda do interesse de cidadãos estrangeiros em viajar para a Rússia começou a ser notada pelos operadores turísticos no final de 2014, quando, com o conflito na Ucrânia como pano de fundo, o número de reservas de viagens para o país chegou praticamente a zero.
Mesmo assim, os representantes do mercado dão previsões otimistas. Kantorovitch acredita que, se o rublo se mantiver em baixa, os índices referentes ao turismo no país este ano poderão se manter nos níveis de 2014.
http://br.rbth.com/sociedade/2015/05/08/russia_avanca_18_posicoes_em_lista_de_paises_atraentes_para_o_turis_30299.html