23 de jun de 2016

“Comércio e investimento no Brics estão abaixo do potencial”

23 de junho de 2016 VERONIKA USSATCHEVA, GAZETA RUSSA
Presidente na Índia do Conselho Empresarial do Brics, Onkar Kanwar, fala sobre a 1ª Feira de Comércio do Brics, que reunirá empresários e ministros do grupo em Nova Déli.
Kanwar: “Jovens empresários irão interagir com investidores anjo e capitalistas de risco” Foto:Apollo Tyres 
Como surgiu a ideia e o tema da 1ª Feira de Comércio do Brics?
Onkar Kanwar: A primeira Feira e Exposição de Comércio do Brics será organizada em Nova Déli, entre os dias 12 e 14 de outubro de 2016, pouco antes da cúpula entre os líderes dos países-membros do grupo. Esta é uma grande iniciativa, proposta pelo  primeiro-ministro da Índia [Narendra Modi] no ano passado em seu discurso aos membros do Conselho Empresarial do Brics em Ufá, na Rússia.
Levando em conta os pilares do Brics em 2016, decidimos organizar a feira sob o tema “Construindo o Brics - Inovação para Colaboração”. Embora os fluxos de comércio e investimento entre os países-membros tenha aumentado, os níveis ainda estão muito abaixo do potencial. É para impulsionar o engajamento econômico entre os Brics e fomentar conexões entre os membros de nossa comunidade empresarial que estamos organizando a feira. Começando pela Índia, esperamos que isso se torne um mecanismo permanente para promover a cooperação econômica Brics no futuro.
Quais os principais setores para os Brics que estarão representados?
Com base nas discussões entre os membros do Conselho Empresarial do Brics e na orientação recebida de nossos respectivos governos, nós identificamos uma lista de cerca de 15 setores-chave que estarão em foco na Feira do Brics. Entre eles figuram os setores aeroespacial, de agroprocessamento, de componentes para automóveis e produtos químicos, energia verde e energias renováveis, saúde e produtos farmacêuticos, ferroviário, têxteis e vestuário, infraestrutura, informática e turismo.
E quanto às realizações econômicas já atingidas pelos membros?
A Feira de Comércio do Brics será uma plataforma para os nossos respectivos países e empresas de mostrar o melhor de suas tecnologias e avanços em termos de desenvolvimento industrial. Além de empresas consolidadas, startups e empreendedores dos Brics virão para nos mostrar suas ofertas.
A nossa ideia é ajudar os produtores de soluções tecnológicas de nossos países a compartilhar conhecimento e experiência em lidar com os desafios comuns do desenvolvimento enfrentados em áreas como saúde, educação, eficiência energética, gestão de resíduos, gestão urbana, e assim por diante.
A plataforma ajudará, então, a reunir jovens empreendedores e startups de todos os países do Brics?
Sim. Vamos fazer um grande esforço para que os nossos jovens empresários venham à feira. Eles terão a chance de interagir com os investidores anjo [profissionais experientes que usam recursos próprios para investir em negócios promissores idealizados por terceiros] e capitalistas de risco.
Haverá presença de outros representantes que não sejam do bloco?
As empresas de países do Brics vão participar e expor no evento, mas também estamos planejando convidar líderes empresariais dos países BIMSTEC (Bangladesh, Butão, Mianmar, Nepal, Sri Lanka e Tailândia) para que mantenham reuniões e discussões com os líderes empresariais do Brics e as empresas expostas na feira. Esta é uma nova dimensão e complementa os esforços de divulgação feitos por nossos respectivos governos para fortalecer a cooperação Sul-Sul.
Quais são as expectativas da participação russa? 
Estou muito satisfeito de ver o tipo de resposta que temos até agora de nossos parceiros na Rússia. Entendo que, depois de 2008, seja, talvez, a primeira vez que a Rússia terá um pavilhão do país em uma grande exposição internacional na Índia. Por isso, nossas expectativas são altas e também posso perceber muito entusiasmo entre as empresas russas.
Tivemos uma série de reuniões com empresas russas na Índia facilitadas pela Comissão Russa de Comércio, a quem somos muito gratos. A missão indiana e o nosso embaixador para a Rússia, Pankaj Saran, também estão nos ajudando com toda a sua experiência, e apoiando a divulgação nas províncias russas.
As empresas russas são mundialmente conhecidas por seus pontos fortes em manufatura avançada, ciência e tecnologia, e pesquisa de ponta. Entre os setores em que esperamos uma maior colaboração da Rússia estão o aeroespacial, de produtos químicos, alta tecnologia, mineração e metalúrgica.
Gostaríamos também que as regiões interioranas da Rússia nos apresentassem oportunidades de investimento para as empresas do Brics. Agricultura e agroprocessamento são, por exemplo, áreas de grande interesse para nós.
Há outros eventos planejados à margem da feira?
Além da Feira do Brics, estamos preparando o Fórum Empresarial do Brics, em 13 de outubro. Esta é uma conferência de um dia inteiro, que contará com a participação de mais de mil representantes de negócios de todos os países do Brics. Convidamos os ministros do Comércio e Indústria de todas as nações do grupo para interagir com os participantes e compartilhar sua visão de engajamento econômico.
Também solicitamos ao presidente do Novo Banco de Desenvolvimento e sua equipe sênior que participem desse fórum e dividam com os demais como o setor privado pode dar suporte na promoção de projetos de desenvolvimento sustentável em todos os países-membros. Além disso, espero que os vários grupos de trabalho do Conselho Empresarial do Brics planejem, durante o evento, seminários e workshops próprios.
Em que sentido o evento cumpre os preceitos da Estratégia de Parceria Econômica do Brics, adotada em Ufá no ano passado?
A Feira de Comércio do Brics corresponde completamente à estratégia adotada em Ufá. Na verdade, ao decidir sobre quais setores seriam focados, seguimos a orientação do documento de estratégia, bem como as deliberações dos nossos ministros do Comércio e Indústria. Esperamos que, por meio dos diferentes programas, obtenhamos várias sugestões de como avançar e implementar o plano de ação contido na Estratégia de Parceria Econômica do Brics.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger