5 de jun de 2016

Escritor brasileiro Raduan Nassar vence prêmio Camões 2016 .

c


Júri foi unânime em conceder distinção, considerada a mais importante para autores de língua portuguesa, a Nassar, destacando a 'força poética de sua prosa'

Atualizada às 16:59
O escritor brasileiro Raduan Nassar ganhou nesta segunda-feira (30/05) a edição 2016 do prêmio Camões, considerado a distinção mais importante para autores de língua portuguesa.
O resultado foi anunciado pelo secretário de Estado da Cultura de Portugal, Miguel Honrado, após reunião com o júri, que concedeu o prêmio de forma unânime ao autor de "Lavoura arcaica" e "Um copo de cólera". 
De acordo com o jornal português Público, os jurados destacaram a "a extraordinária qualidade" da linguagem de Nassar e a "força poética da sua prosa".
Paulo Pinto / Fotos Públicas

O escritor Raduan Nassar foi celebrado pela 'extraordinária qualidade' de sua linguagem e pela 'força poética da sua prosa'
O júri deste ano foi formado pela professora e ensaísta Paula Morão e o poeta e colunista Pedro Mexia, ambos portugueses, os professores universitários, críticos e escritores brasileiros Flora Süssekind e Sérgio Alcides do Amaral, o autor moçambicano Lourenço do Rosário, reitor da Universidade Politécnica de Maputo, e a ensaísta são-tomense Inocência Mata.
Para o Público, a escolha de Nassar dá "uma inevitável dimensão política" ao prêmio Camões deste ano, devido às recentes aparições públicas de Nassar – figura notoriamente reservada – em defesa da presidente brasileira, Dilma Rousseff, e contra o processo de impeachment de que Dilma é alvo e que culminou em seu afastamento no dia 12 de maio. "Os que tentam promover a saída de Dilma arrogam-se hoje, sem pudor, como detentores da ética, mas serão execrados amanhã", discursou Nassar ao durante Encontro com Artistas e Intelectuais em Defesa da Democracia, junto a Dilma, no dia 31 de março.

David Harvey e Tariq Ali condenam golpe e manifestam solidariedade ao Brasil

Após revelações de Jucá, impeachment ganhou 'ares de golpe', diz jornal francês Libération

Mídia e democracia: nada a ver? Cobertura política coloca em xeque objetividade e imparcialidade da grande imprensa brasileira

PUBLICIDADE
Instituído em 1988 pelos governos de Portugal e do Brasil, o prêmio Camões é atribuído a “um autor de língua portuguesa que tenha contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua comum”. Com o prêmio concedido a Nassar nesta segunda-feira, o Brasil fica com 12 distinções e passa Portugal, que tem 10.
Na lista de brasileiros que já receberam o prêmio estão João Cabral de Melo Neto (1990), Rachel de Queiroz (1993), Jorge Amado (1994), Antonio Cândido (1998), Autran Dourado (2000), Rubem Fonseca (2003), Lygia Fagundes Telles (2005), João Ubaldo Ribeiro (2008), Ferreira Gullar (2010), Dalton Trevisan (2012) e Alberto da Costa e Silva (2014).
Filho de pais libaneses, Nassar nasceu em Pindorama (SP) em 1935. Na adolescência se mudou para São Paulo, onde estudou Direito e Filosofia na USP (Universidade de São Paulo). Seu primeiro livro, "Lavoura arcaica", foi lançado em 1975. Três anos depois, publicou a novela "Um copo de cólera". Seu último livro, "Menina a caminho", foi lançado em 1997 e reúne uma série de contos escritos entre as décadas de 1960 e 1970. transcrito de Carta Maior

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger