28 de jun de 2016

Quanto custa morar e trabalhar em Noronha? Ilha de Fernando de Noronha. Editor - em vaga para turismólogo, mas corra que é até 01 de julho p.f.


Quanto custa morar e trabalhar em Noronha?Inscrição para concurso no arquipélago é exclusivamente presencial, por isso, mão de obra local é a principal beneficiada. Salários vão de R$ 1,2 a R$ 18 mil 

Por: Patrícia Fonseca - Diario de Pernambuco
Publicado em: 28/06/2016 15:30 Atualizado em: 28/06/2016 16:47

Além de arcar com os custos da inscrição in locu, candidato precisa considerar o alto custo de vida na ilha. Foto: Fernando de Noronha/ Divulgação
Além de arcar com os custos da inscrição in locu, candidato precisa considerar o alto custo de vida na ilha. Foto: Fernando de Noronha/ Divulgação

O anúncio de uma seleção para contratação temporária de 301 vagas de servidores para a Ilha de Fernando de Noronha tem gerado interesse em concurseiros de todo o país. As inscrições mal começaram e surgem, de estados como Rio Grande do Sul, Roraima, Piauí, São Paulo, candidatos a mudarem radicalmente de vida e de endereço em prol de uma colocação profissional, mesmo que provisória, na ilha paradisíaca distante 345 quilômetros da costa pernambucana e 545 quilômetros do Recife.

A primeira dúvida surge no próprio edital, uma vez que as inscrições para o certame, embora gratuitas, são exclusivamente presenciais. Ou seja, o candidato tem até a próxima sexta-feira, dia 1º de julho de 2016, para comparecer ao Centro de Geração e Renda da ilha, que funciona das 8h às 14h, no arquipélago. Mas além de arcar com os custos dessa inscrição in loco, é bom que os interessados tomem um choque de realidade. Afinal, quanto custa morar e trabalhar em Noronha?

Fazendo cálculos
O concurseiro que não for ilhéu vai ter que desembolsar passagem aérea e hospedagem. Atualmente, duas empresas têm voos diretos do Recife para ilha: Gol e Azul. Ida e volta custam, em média, R$ 900. A pessoa precisará ainda pagar a Taxa de Preservação Ambiental (TPA) de R$ 74,25, valor que aumenta gradativamente, se o candidato resolver dar uma "esticadinha" para conhecer as maravilhas do lugar. O concurseiro terá que, ao menos, pernoitar em Noronha, onde uma diária em pousada domiciliar custa cerca de R$ 117. Vale lembrar que, como o processo seletivo será feito por meio de uma avaliação curricular de caráter classificatório e eliminatório, o candidato não vai precisar voltar ao local para a realização de provas, como geralmente acontece em outros concursos.

No entanto, no que diz respeito ao investimento, essa não será a despesa mais importante a se considerar. É preciso ser levado em conta o alto custo de vida no arquipélago. O transporte de insumos para a ilha é feito de navio ou avião, aumentando, consideravelmente, o preço de tudo, principalmente alimentação, gás de cozinha, combustível. Uma garrafa de água mineral, para se ter ideia, custa R$ 6. Além disso, é preciso enfatizar que a administração da ilha não oferecerá moradia, transporte ou alimentação aos novos funcionários das áreas da Administração Geral e Saúde, que terão salários variando entre R$ 1,2 mil e R$ 18 mil, com jornadas de trabalho de até 40 horas semanais.

Além disso, diferente da maioria dos locais do continente, a possibilidade de construção de novas moradias na ilha é nula. Com 70% da área reservada ao Parque Marinho, o arquipélago não oferece, por exemplo, a possibilidade de um novo morador comprar um terreno e construir a própria casa. Quem for de fora terá que alugar um quarto em uma das pousadas domiciliares, com valores, geralmente altos, a negociar.

Infraestrutura saturada

Com uma população total de 4.300 habitantes, sendo 3.800 moradores fixos e os demais moradores flutuantes ou turistas, a ilha cercada de belezas naturais estonteantes, enfrenta problemas de infraestrutura importantes como o fato de possuir um único hospital, uma única escola e não permitir a entrada de veículos além dos já cadastrados pela administração. Para ter uma consulta médica, por exemplo, muitas pessoas se deslocam para o Recife e fazem uma espécie de "poupança" para casos de emergência.

Desavisada, uma enfermeira contratada na última seletiva realizada há cerca de dois anos - e que preferiu não ser identificada - desistiu da vaga após uma única semana de trabalho. Embora não declare esse propósito, é bem provável qur a administração da ilha tenha optado pela inscrição presencial para fugir desses tipos de problemas, privilegiando a mão de obra local, que já conhece as nuances de morar cercado de água por todos os lados.

Questionados pelo Diario sobre os motivos da inscrição presencial para o concurso, os gestores de Fernando de Noronha declararam, por meio de nota oficial:

Sendo a sede do Distrito Estadual de Fernando de Noronha situada na Vila dos Remédios, no arquipélago, a inscrição para os candidatos ao processo seletivo simplificado para o preenchimento das 301 vagas deve ser realizada no mesmo local para onde os cargos serão destinados. As inscrições podem ser realizadas gratuitamente até o dia 01/07 no Centro de Geração e Renda de forma presencial ou por representação reconhecida em cartório para qualquer pessoa que atenda os pré-requisitos, como consta no edital publicado no Diário Oficial de Pernambuco da última quinta-feira, 23/06.

O concurso
O edital da seleção foi publicado da quinta-feira passada no Diário Oficial do Estado. O resultado final terá validade de dois anos, e pode ser prorrogado.

Confira a quantidade de vagas, distribuídas nas áreas da Administração Geral e Saúde:
Nível Fundamental
Agente Patrimonial (1); Assistente de Apoio Administrativo II (10); Assistente de Apoio Administrativo em Telefonia (4); e Agente de Portaria (3).

Nível Médio
Assistente Administrativo/Agente em Contratos e Convênios (1); Agente Administrativo em Atividades Portuárias (2); Receptivo Aeroportuário (15); Agente de Secretaria (3); Administração (45); e Administração Escolar (1); Assistente Administrativo/ Agente em Manipulação Documental (5); Almoxarifado (5); Atividades Desportivas (1); Comunicação Social (4); Gestão de Pessoas (4); Guarda-vidas (12); Informática (4); Operacional de Logística (3); Mecânico (2); Marketing e Programação Visual (1); Obras e Manutenção (2); Operacional nas áreas de Controle Migratório (4); Fiscalização Portuária (4); em Bens Patrimoniais (3); em Compras e Serviços (5); em Sistema da Informação (1); Agente em Arrecadação (1); Orçamento, Planejamento e Finanças (5); Resíduos Sólidos (1); Uso do Solo (1); Operacional em Fiscalização de Infraestrutura (2); Condutor de Veículos (18); Coordenador de Merenda (1); Técnico Administrativo em Arrecadação (1); em Logística (1); em Almoxarifado (1); em Meio Ambiente (1); Técnico Administrativo (17); Agente em Administração (7); Agente em Atividades em Saúde (6); Agente em Controle de Endemias (5); Agente Epidemiológico (2); Agente Sanitário (2); Auxiliar de Farmácia (1); Condutor de Veículos (2); Técnico de Enfermagem I (5); Técnico de Enfermagem II (2); Higienização Dentário THD (2); Análises Clínicas (1); Imobilização Ortopédica (2); e em Radiologia (2).

Nível Superior: Analista da Tecnologia da Informação (1); Analista em Recursos Humanos (1); Arquiteto (2); Assessor nas áreas: Operacional (5); e Jurídico (2); Assistente em Atividades Desportivas (2); de Compras e Serviços (1); Desenvolvimento de Pessoal (1); Folha de Pagamento (1); Planejamento e Orçamento (1); Receptivo Aeroportuário (1); e de Tecnologia da Informação (3); Assistente Social (3); Bibliotecário (1); Biólogo (2); Contador (1); Engenheiro Agrônomo (1); Engenheiro Civil (1); Historiador (2); Jornalista (1); Turismólogo I (1); Turismólogo II (1); Analista em Saúde (3); Assistente Social II (3); Biólogo I (1); Cirurgião-dentista I (1); Cirurgião-dentista II (1); Enfermeiro I (4); Enfermeiro II (1); Enfermeiro III (1); Fisioterapeuta (1); Fonoaudiólogo (1); Médico nas áreas de Saúde da Família (1); Diarista/Clínico Geral (1); Especialista/Ginecologista (1); Pediatra Neonatal (1); Especialista Psiquiatra (1); e Plantonista (4); Médico-veterinário (3); Nutricionista (1); e Psicólogo (2).

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger