francisco Um outro Brasil está brotando nas mãos do povo
São Francisco Xavier SP
São ainda pequenos exemplos, aqui e ali, quase imperceptíveis, longe dos olhos da grande mídia, de um outro Brasil brotando nas mãos do povo e longe dos cofres públicos de governos falidos.
É o caso do tradicional encontro literário da Mantiqueira, que corria o risco de acabar, por falta de patrocínio do governo do Estado, depois de ser retirado do calendário oficial da Secretaria de Cultura por falta de verbas, mas vai acontecer pela oitava vez, no próximo fim de semana, bancado pela comunidade local, em São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos, no interior paulista.
Vou contar esta bela história aqui graças à colaboração de um grande amigo, o octogenário jornalista e escritor  Audálio Dantas. Entre uma e outra sessão de quimioterapia, ele continua se dedicando às boas causas populares com trabalhos geralmente não remunerados, como podemos ver nesta mensagem que ele me mandou:
"Caro Ricardinho,
aí vão algumas informações sobre o Festival Literário da Mantiqueira. O Auro Lúcio que me manda o recado e um anexo com a programação é médico em São Francisco e um dos cidadãos que se tomaram de brios para levar à frente o evento, mesmo sem ajuda da Cultura oficial.
É o festival do "ninguém cobra nada" e quem pode dá alguma coisa. A comunidade contribui com o que pode (hospedagem, alimentação etc), os convidados dispensam cachês, e pronto, vai ser uma bonita festa de pobre".
Escreveu-lhe na semana passada, todo animado, o Auro Lúcio Silva, presidente da comissão executiva do festival,  contando como vai ser:
"Caro amigo Audálio! Reitero o prazer e a gratidão com a perspectiva de tê-lo aqui conosco em nosso revolucionário evento. Apesar de ainda apresentado basicamente no padrão mesas+palestras+debates, o fato de ser o primeiro festival literário independente nos dá a certeza de que estamos agindo bem.
Sem subvenção oficial ou financiamento privado, encaramos algo que não sabemos fazer: montar um evento para suceder o terceiro encontro literário do Brasil em importância.
Com a ajuda de amigos como você e outros colaboradores, doações de hospedagem e refeições, apoio estrutural da nossa prefeitura e Fundação Cultural, estamos chegando lá (...) Temos um alojamento muito bom, a uns 100 metros do evento, aguardando por vocês".
De sexta a domingo, o festival vai ter mesas literárias, debates, shows, teatro, cinema, poesia, contação de histórias  e lançamentos de livros, entre outras atividades. Tudo foi organizado às pressas depois que, nos primeiros dias de março, pela imprensa, os moradores do distrito ficaram sabendo que o festival fora cancelado pelo governo do Estado.
A comunidade de São Francisco Xavier decidiu se apropriar do evento e realizá-lo com as próprias mãos, buscando apoio com a população, associações e órgãos públicos locais. O encontro foi rebatizado e recebeu o nome de Festival da Mantiqueira _ Literatura em Foco _ São Francisco Xavier, informa-se na apresentação do evento, que anuncia boas novidades no seu formato.
Vai abrir-se para autores regionais, novos autores e, principalmente, aos alunos das escolas do distrito. Nas edições anteriores não havia participação das escolas locais. A partir deste novo formato, haverá discussões com os professores, cursos de redação para alunos, elaboração de trabalhos que serão expostos durante o festival.  Os alunos irão construir, artesanalmente, seus livros, com apoio da Biblioteca Solidária.
Entre os nomes de autores já confirmados, além do próprio Audálio Dantas, estão o poeta e historiador Victor Leonardi, a jornalista e escritora Daniela Arbex, o escritor e psicólogo Gustavo Barcellos, Gabriel Priolli Netto, Leão Serva, Estevão Azevedo, Rita Elisa Seda, Viviana Bosi e Moacyr Pinto, que lançará o livro "Comissão da Verdade".
O show de abertura, às 19h30 de sexta-feira, dia 17,  ficará por conta da "Orquestra Possível", formada exclusivamente por músicos de São Francisco Xavier, sob a regência de Daniel Gonçalves. No coreto da praça, às 14h45 de domingo, acontecerá o show de encerramento com as "Violas Caipiras: Cordas na Mantiqueira".
São Francisco Xavier, no caminho de Campos do Jordão, fica a uns 100 quilômetros de São Paulo. Com esse friozinho que está fazendo, vale a pena o passeio.
No "day after" de Eduardo Cunha, nada como poder falar de coisa boa. Como vemos, um outro Brasil está brotando pelas mãos do povo.
Viva!  Transcrito do blog balaio do kotscho