19 de jun de 2016

Visanet / Banco de Brasil: O alvo é o PT- blog da Cidadania

Visanet / Banco de Brasil: O alvo é o PT

POST 6img1 
O CAMINHO, DENTRO DO BANCO DO BRASIL, PARA UTILIZAÇÃO DO DINHEIRO/RECURSOS DO FUNDO DE INCENTIVO VISANET
O Banco do Brasil é uma empresa com uma estrutura de poder (hierarquias) complexa. Possui 1 Presidente, 7 Vice-Presidentes e mais de 30 Diretorias divididas por áreas - de negócios e de apoio: diretoria de agronegócios, mercado de capitais, internacional, varejo-negócios (cartões de crédito), planejamento, jurídica, controles, finanças, infraestrutura, logística, tecnologia, marketing-apoio (operacionalizar/confeccionar), distribuição, etc, etc, etc.
Na relação Visanet/Banco do Brasil, era necessário um “canal”, alguém que fizesse a “ponte” entre as duas empresas, chamado GESTOR - funcionário indicado pelo Banco (indicado, expressamente, pela Diretoria de Varejo/BB),  conforme determinava o Regulamento do Fundo Visanet/contrato entre a Visanet e o Banco do Brasil.
GESTOR era responsável por encaminhar, à Visanet, as propostas de ações/campanhas e os pedidos de pagamento à DNA e desde 2001 (ano que foi criado o Fundo Visanet), o GESTOR sempre foi indicado pelo Diretor de Varejo/BB, sendo esta Diretoria, responsável e determinante para utilização dos recursos/dinheiro do Fundo Visanet, pois o “negócio” desta era “vender” cartões de crédito, portanto, vender cartões com a marca VISA - o Fundo de Incentivo Visanet foi criado para incentivar a venda da marca VISA.
A Diretoria de Varejo era determinante no processo da utilização do dinheiro/recursos da Visanet, pois utilizou sozinha estes recursos para promoção da marca Visa.
Conforme Auditoria do Banco do Brasil, a Diretoria de Marketing (apoio) confeccionava, quando solicitada, campanhas publicitárias demandadas pela Diretoria de Varejo (área de negócios) com dinheiro/recursos do Fundo Visanet.
Em se tratanto de 2 diretorias distintas do Banco do Brasil: Diretoria de Varejo (área de negócios) e Diretoria de Marketing (apoio); quando a 1ª demandava “um trabalho” para a 2ª, havia necessidade de haver um “acordo de trabalho”.
Este “acordo de trabalho” entre duas diretorias pertencentes ao Banco do Brasil era feito através de um documento, interno, chamado NOTA TÉCNICA.
No caso “Visanet/Banco do Brasil” tratado pela AP 470, são citadas 4 NOTAS TÉCNICAS, que pelo fato de discriminarem valores e estes serem relativos ao Fundo Visanet, transformaram-se em prova acusatória contra O Diretor de Marketing do Banco do Brasil, sendo descritas, há anos, pela imprensa inconsequente e inimputável de seus atos, como “antecipações fraudulentas”, “valor desviado”, “autorização de pagamento ilícito”, “indício fortíssimo de irregularidades” e por aí vai.
NOTAS TÉCNICAS: A VERDADE DISTORCIDA PARA CONDENAR
“Notas Técnicas” são documentos estritamente internos (utilizadas internamente) no Banco do Brasil. Elas têm por objetivo formalizar acordos de trabalho entre as diversas áreas dentro do Banco do Brasil (entre diretorias, entre gerências, etc). Em hipótese alguma, Notas Técnicas do Banco do Brasil, teriam qualquer poder ou função externa ao banco.

DOCUMENTO 1  Auditoria Interna do Banco do Brasil, 07/12/2006, subitem 5.2.4 (Volume 25 fl 5227A) 3 BB
img2 
DOCUMENTO 2  Notas Técnicas nº1141/2003, nº3281/2003, nº0251/2004, nº1410/2004 (Volume 25 fl 5376 a 5388) 6 BB
Primeira folha das Notas Técnicas
img3
O documento acima é a 1ª folha das referidas NOTAS  TÉCNICAS que informa tratar-se de um aporte de dinheiro/recursos do Fundo de Incentivo Visanet o qual, não impacta o orçamento do Banco do Brasil, por tratar-se de recursos privados e formaliza o ACORDO DE TRABALHO entre 2 diretorias – Varejo –diretoria que demanda o trabalho e, Marketing - diretoria de apoio para operacionalizar/confeccionar o trabalho.
 Comprova-se isto no item 5 – Análise - das NOTAS TÉCNICAS, abaixo relacionadas:
A DIRETORIA DE VAREJO DO BANCO DO BRASIL DETERMINAVA/DEMANDAVA AS CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS
DOCUMENTO 2 Notas Técnicas nº1141/2003, nº3281/2003, nº0251/2004, nº1410/2004 (Volume 25 fl 5376 a 5388) 6 BB
img4
Os subitens, “5.7”, “5.3”, “5.7” e “4.2”, acima, dizem que, as demandas eram apresentadas pela Diretoria de Varejo - DIREV/BB, (área de negócios: cartões de crédito/débito) responsável por definir estratégias das campanhas publicitárias a serem realizadas.
AS NOTAS TÉCNICAS SEMPRE REFERIRAM-SE A RESULTADOS POSITIVOS ALCANÇADOS COM A UTILIZAÇÃO DO DINHEIRO/RECURSOS DO FUNDO DE INCENTIVO VISANET
  DOCUMENTO 2 Notas Técnicas nº1141/2003, nº3281/2003, nº0251/2004, nº1410/2004 (Volume 25 fl 5376 a 5388)5
As NOTAS TÉCNICAS, sempre, referem-se ao efetivo crescimento nos resultados da venda de cartões com a marca VISA, colocando o Banco do Brasil na liderança do mercado (2003 e 2004), ultrapassando, assim, seu maior concorrente – Bradesco-, que, inclusive, recebia cota maior de dinheiro/recursos do Fundo de Incentivo Visanet.
AS NOTAS TÉCNICAS NÃO FALAM EM
ADIANTAMENTOS/ANTECIPAÇÕES PARA A DNA
As NOTAS TÉCNICAS, em nenhum item, referem-se a adiantamentos/ antecipações a serem pagos à agência DNA de Marcos Valério.
DOCUMENTO 2 Notas Técnicas nº1141/2003, nº3281/2003, nº0251/2004, nº1410/2004 (Volume 25 fl 5376 a 5388)
nota
No ano de 2002, era FHC, a DNA que já era agência contratada do Banco do Brasil desde 1994, foi escolhida para operacionalizar/confeccionar as campanhas publicitárias com o dinheiro/recursos do Fundo de Incentivo Visanet. Campanhas publicitárias demandadas pela Diretoria de VarejoÚNICA responsável por encaminhar TODA documentação para a Visanetinclusive, MANDAR PAGAR À DNA.
As NOTAS TÉCNICAS indicam que o dinheiro/recursos da Visanet,  seriam creditados na conta da DNA “...ficando a utilização da verba condicionada à aprovação das campanhas pelas Diretorias de Marketing e Comunicação e de Varejo”.(conforme Notas Técnicas acima)
A Visanet pagava DIRETAMENTE à DNA, conforme autorização dada pelo GESTOR Léo Batista dos Santos e Douglas Macedo, ambos da Diretoria de Varejo. (Ver Laudo Contábil nº2828/2006-INC, Apenso 142 fls 91, 92 e 115-item 194, já publicado por este Blog dia 29/09)
As NOTAS TÉCNICAS NÃO SAIAM DO BANCO DO BRASIL – AS NOTAS TÉCNICAS ERAM DOCUMENTOS INTERNOS AO BANCO DO BRASIL.
AS NOTAS TÉCNICAS ERAM ASSINADAS POR DOIS DIRETORES
E DOIS GERENTES EXECUTIVOS = 4 PESSOAS
DOCUMENTO 2 Notas Técnicas nº1141/2003, nº3281/2003, nº0251/2004, nº1410/2004 (Volume 25 fl 5376 a 5388)
img5
 *FHC Funcionários do BB indicados na era FHC (além de já estarem nos cargos na era FHC, foram indicados por TUCANOS)
**PT  Funcionário do BB indicado na era Lula (argumentos utilizados pelos PGRs e Joaquim Barbosa: trabalhou para eleger Lula (2002), petista influente no partido)
Obs.: Diretor de Marketing, conforme normas do BB, não tinha poder para substituir/demitir Gerente Executivo de sua diretoria. (Apenso 402 fl 22328)
Observar que as NOTAS TÉCNICAS são SEMPRE assinadas por 4 pessoas:
Diretoria de Marketing (DIMAC)........(1) Diretor e (2) Gerente Executivo
Diretoria de Varejo (DIREV)..............(3) Diretor e (4) Gerente Executivo
A NOTA TÉCNICA nº3281/2003 não é assinada por Henrique Pizzolato.
As NOTAS TÉCNICAS NÃO SAIAM DO BANCO DO BRASIL – AS NOTAS TÉCNICAS ERAM DOCUMENTOS INTERNOS AO BANCO DO BRASIL.
Não há nenhum documento assinado pelo Diretor de Marketing, Henrique Pizzolato, enviado à Visanet.
Há MUITOS documentos assinados por Léo Batista dos Santos, Douglas Macedo e Fernando Barbosa enviados à Visanet, TODOS funcionários da Diretoria de Varejo do Banco do Brasil.(Apensos 430, pasta 1BB/2001/2002, pasta 2 BB/2003, pasta 3 BB/2004)  
A VERDADE DOS DOCUMENTOS
 Todos estes documentos ESTÃO no processo AP 470.
 As Notas Técnicas eram documentos INTERNOS no Banco do Brasil  e NÃO eram enviadas para a Visanet.
 As Notas Técnicas comprovam que, a Diretoria de Varejo era determinante para demandar campanhas publicitárias, utilizando dinheiro/recursos do Fundo Visanet e NÃO a Diretoria de Marketing.
 A Diretoria de Varejo indicava o Gestor, Léo Batista dos Santos, única pessoa com poderes para autorizar e derterminar pagamentos com o dinheiro/recursos do Fundo Visanet.  
As Notas Técnicas comprovam que  as campanhas publicitárias, realizadas com os recursos da Visanet, tiveram êxito: o Banco do Brasil manteve-se na liderança do mercado.
As Notas Técnicas NÃO referem-se, nem determinam pagamentos à DNA sob a forma de adiantamentos/antecipações.
As Notas Técnicas SEMPRE foram assinadas por 2 Diretores e 2 Gerentes Executivos, 4 PESSOAS.
NÃO EXISTE NENHUM DOCUMENTO ENVIADO (à) OU RECEBIDO da VISANET PELO DIRETOR DE MARKETING DO BANCO DO BRASIL, Henrique Pizzolato.
NÃO EXISTE NENHUM DOCUMENTO ASSINADO PELO DIRETOR DE MARKETING, Henrique Pizzolato, ORDENANDO PAGAMENTO À DNA, seja com dinheiro/recursos do Banco do Brasil, seja com dinheiro/recursos da empresa privada Visanet.
AS NOTAS TÉCNICAS NÃO COMPROVAM, NEM PROVAM NENHUM CRIME COMETIDO PELO DIRETOR DE MARKETING, HENRIQUE PIZZOLATO.
POR QUE JOAQUIM BARBOSA NÃO LEU OS DOCUMENTOS?
POR QUE  Joaquim Barbosa manconumado com os PGRs, Antônio Fernando e Gurgel, distorceram a verdade destes documentos?
POR QUE Joaquim Barbosa mancomunado com os PGRs, mentiram ao distorcer o conteúdo das provas da AP 470: documentos da Visanet, do Banco do Brasil (inclusive respostas a quesitos deferidos pelo próprio Joaquim Barbosa), Laudos produzidos pela Polícia Federal ( Laudo 2828/2006, ver Blog do dia 20/09)?
POR QUE Joaquim Barbosa, no afã de acusar somente UMA pessoa, “pinçou” UM culpado nos documentos- Notas Técnicas - assinados por QUATRO pessoas?
POR QUE Joaquim Barbosa, no afã de acusar,” NÃO viu”, que, no documento Nota Técnica nº3281/2003, NÃO HÁ ASSINATURA do Diretor de Marketing, Henrique Pizzolato?
Joaquim Barbosa, SEMPRE esteve determinado a condenar o PT.
Joaquim Barbosa para atingir seu objetivo – CONDENAR O PT – escolheu O PETISTA.
Joaquim Barbosa “fez vistas grossas” aos tucanos.
Joaquim Barbosa criou o “ar de legalidade”, falseando informações contidas nos documentos para condenar.
Joaquim Barbosa não quer a justiça; Joaquim Barbosa só quer condenar.
Joaquim Barbosa, rendendo-se às vaidades pessoais, rendendo-se às “glórias” proporcionadas pela imprensa golpista e desonesta, trai seu dever para com a JUSTIÇA, trai a Constituição Federal, trai o cargo de respeito confiado pela sociedade brasileira. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger