2 de fev de 2017

Breno Altman: 'Novas frentes populares podem reconstruir força progressista - Editor - o GOLPE não teria existido se na formação educacional, tivéssemos um verdadeiro aprendizado politico inclusivo, participativo e analítico. Se os partidos, disponibilizassem mais tempo as suas militancias e fossem mais abertos a conteúdos filosóficos, de idéias, se os governos populares, tivessem apoiado os canais de comunicação das rede sociais, quebrando o monopólio da masturbação mental novelística e o emburrecimento noticioso dos seus ditos programas desimformativos. Todo cidadão e cidadã, que por qualquer meio incita outros a luta pela volta da DEMOCRACIA, é um baluarte a mais para a quebra do GOLPISMO. Todos e todos que dão o seu tempo, a livrar o país desses PARASITAS, BANDIDOS, CORRUPTOS, são bem vindos. Precisamos somar pela FRENTE BRASIL DEMOCRÁTICO JÁ e DERRUBAR, com todas as nossas forças, idéias e ideais de liberdade, esse OBSCURANTISMO QUE TOMOU CONTA E DESTITUIU 54 MILHÕES DE VOTOS DO PODER.



PÓS-GOLPE

Breno Altman: 'Novas frentes populares podem reconstruir força progressista'

Segundo o jornalista e pesquisador, durante o movimento de resistência ao impeachment de Dilma, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo tornaram-se alternativa para a esquerda do Brasil
por Redação RBA publicado 02/02/2017 10h29
CC MIDIA NINJA
fora temer.jpg
Em 2016, frentes populares conseguiram mobilizar milhares de pessoas em resistência ao golpe
São Paulo –  Durante o "Encontro Internacional pela Democracia e Contra o Golpe no Brasil", em Amsterdã, na Holanda, no último domingo (29), o pesquisador e jornalista Breno Altman fez uma análise sobre como o impeachment de Dilma Rousseff viabilizou uma possível nova frente das esquerdas no Brasil.
Em entrevista ao correspondente internacional Flavio Aguiar, da TVT, Altman explica que a resistência contra o golpe, em 2016, mostrou que há a capacidade das forças progressistas se reorganizarem. "Durante a resistência ao impeachment da presidenta Dilma, nós tivemos basicamente duas grandes frentes de mobilização com muita intersecção: a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo. Elas foram instrumentos de mobilização e permitiram a reconstrução da unidade das forças progressistas e populares. O fato é que, ainda que essas frentes tenham sido importantes para reorganizar a capacidade de intervenção do campo popular, elas são insuficientes para aquilo que o momento político exigia."
Segundo ele, as duas frentes podem construir as novas pautas construir uma força política mais sólida. "Essas frentes precisam ser embriões para um movimento mais audacioso que busque constituir uma frente programática que possa ser uma alternativa de poder no país, além de se unificarem entre si. Antes, nós precisamos saber o que queremos fazer com o país, ou seja, quando a esquerda voltar ao governo, qual é o novo pacto do campo popular?", questiona.
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/02/breno-altman-novas-frentes-populares-podem-reconstruir-forca-progressista
Share:

0 comentários:

Postar um comentário