31 de mai de 2017

Zequinha Marinho pode perder direitos políticos. -Editor- Informaçãoé o VICE-G0VERNADOR NA CHAPA SIMÃO JATENE

Zequinha Marinho pode perder direitos políticos


O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) recebeu denúncia contra Zequinha Marinho, vice-governador do Pará por Concussão. Marinho virou réu por exigir que os servidores de seu gabinete na Câmara dos Deputados, quando era deputado federal, transferissem parte de seus salários ao partido. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF), em 2015.

CONTA

Homem de confiança do governador Simão Jatene (PSDB), José da Cruz Marinho, mais conhecido politicamente como “Zequinha Marinho”, exerceu o mandato de deputado federal pelo Partido Social Cristão (PSC) nas legislaturas 2007/2011 e 2011/2015. Em dezembro de 2014, ele renunciou ao mandato para assumir o cargo de vice-governador do Estado do Pará, a partir de 1º de Janeiro de 2015.

Enquanto exerceu o mandato de deputado federal, sendo ainda presidente regional do PSC no Pará, exigia dos servidores que exerciam cargos comissionados em seu gabinete a contribuição ao PSC do percentual de 5% sobre o valor da remuneração de cada um, dinheiro que era depositado mensalmente em conta corrente do Partido, sob pena de exoneração do cargo comissionado que ocupavam.
Zequinha é vice-governador de Simão Jatene. (Foto: divulgação)

ZEQUINHA LEVOU O PARTIDO À CONDENAÇÃO EM JANEIRO
O Partido Social Cristão (PSC) já foi condenado ao pagamento de R$ 10 mil a um ex-funcionário do vice-governador do Pará, Zequinha Marinho. A sentença foi anunciada em janeiro deste ano, pelo juiz substituto da 6ª Vara Cível de Brasília, Matheus Stamillo Zuliani. O valor foi calculado como indenização a um ex-funcionário do gabinete do deputado, que quando era deputado federal obrigava todos os seus funcionários a contribuir com o “dízimo” de seu salário, a título de contribuição partidária. Esta foi a primeira punição decretada pela prática do crime da “caixinha”, quando parlamentares de diversos partidos obrigam seus funcionários a fazer contribuições às legendas.
PARA ENTENDER

Se condenado, o vice-governador poderá perder o cargo, ficar inelegível para o período remanescente e nos próximos 8 anos ao término do mandato.

Ele terá de ressarcir os cofres públicos do valor exigido dos servidores para o PSC, devidamente corrigidos.

O processo será julgado na 2ª Seção do TRF1.

(Diário do Pará)http://www.tvrba.com.br/noticia.php?idnoticia=379197
Share:

0 comentários:

Postar um comentário