9 de jun de 2017

Governo autônomo da Catalunha convoca referendo de independência da Espanha

Governo autônomo da Catalunha convoca referendo de independência da Espanha


Catalães responderão se querem que território espanhol de 7,5 milhões de habitantes seja 'Estado independente na forma de uma república'; Madri diz que consulta é ilegal e vai atuar para impedi-la
O Governo da região da Catalunha anunciou nesta sexta-feira (09/06) sua intenção de convocar, no dia 1º de outubro, um referendo sobre a independência do território espanhol de 7,5 milhões de habitantes.
"Você quer que a Catalunha seja um Estado independente na forma de uma república?", é a pergunta que os nacionalistas catalães farão aos cidadãos, anunciou publicamente o presidente da região, Carles Puigdemont.
O governo espanhol diz que essa consulta soberanista é ilegal por ser contrária à Constituição e deixou claro que adotará todas as medidas necessárias para impedi-la.
Na sua declaração, o chefe do Executivo catalão explicou que a convocação a feita "em exercício do legítimo direito à autodeterminação que tem uma nação milenar" como a Catalunha e assegurou que seu governo "se compromete a aplicar" o resultado das urnas.
Puigdemont lembrou que há sete anos o Tribunal Constitucional (TC) espanhol rejeitou a reforma do Estatuto da Catalunha, norma máxima que rege a vida da região, aprovado pelo Parlamento Catalão e ratificado em referendo pelos cidadãos.
Agência Efe / Arquivo

Manifestação pela independência da Catalunha realizada em Madri em setembro de 2014

Fidel Castro e a repressão contra intelectuais

Ex-presidente da Catalunha é condenado a dois anos sem exercer cargo público por promover referendo separatista

Esquerda espanhola apresenta moção de censura contra Rajoy por denúncias de corrupção envolvendo PP

Desde então, as tentativas de diálogo entre os governos catalão e espanhol colheram uma "longa coleção de embates".
Com o anúncio da data e da pergunta a ser feita, Puigdemont cumpre sua promessa de trilhar uma via unilateral para a independência, após a recusa do governo espanhol de Mariano Rajoy a negociar uma consulta sobre a independência da Catalunha.
O TC já anulou uma primeira tentativa de consulta soberanista, convocado pelo governo catalão em novembro de 2014, após o que finalmente foi feita uma consulta informal, sem valor legal.
Os seus impulsionadores, entre eles o anterior chefe de governo da Catalunha Artur Mas, foram processados e condenados a penas de inabilitação para cargo público.
Segundo Puigdemont, o TC espanhol é uma instituição "fortemente politizada" e "comprometida" com o governante Partido Popular (centro-direita) do presidente Mariano Rajoy.
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/geral/47324/governo+autonomo+da+catalunha+convoca+referendo+de+independencia+da+espanha.shtml
Share:

0 comentários:

Postar um comentário