29 de jun de 2017

Greve geral: Confira a agenda de atividades desta sexta-feira (30) em todo o país. -Editor - Faça sua parte aderindo a GREVE GERAL. DIRETAS JÁ GERAL COM REFORMAS DE BASE PROFUNDAS.

SINDICAL

Greve geral: Confira a agenda de atividades desta sexta-feira (30) em todo o país

Paralisação será contra as reformas da Previdência e trabalhista do governo golpista de Michel Temer

Brasil da Fato | São Paulo (SP)
,
Ato realizado durante paralisação do dia 28 de maio em São Paulo (SP), no Largo da Batata / Brasil de Fato
Atualizada em 29/06/2017, às 14:31
A greve geral convocada pelo conjunto das centrais sindicais brasileiras, que será realizada nesta sexta-feira (30), será acompanhada por atos de rua em todo o país, chamados por centrais sindicais. As manifestações também contarão com o apoio e mobilização das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e estão marcadas em todos os estados do país.
Em São Paulo (SP), a atividade deve ocorrer na Avenida Paulista, a partir das 16 horas. Em Belo Horizonte (MG), a manifestação ocorre às 9 horas na Praça da Estação.
Já em Porto Velho (RO), será realizada às 8 horas na Praça Três Caixas D’Água. Em Fortaleza (CE), acontece às 9 horas na Praça da Bandeira.
No Rio de Janeiro (RJ), o protesto acontecerá a partir das 17 horas, com concentração na Candelária, no centro da cidade. A ideia é unir forças à mobilização convocada por alunos, professores e funcionários da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), que passa por um momento complicado de cortes de verbas e periga fechar. Confira abaixo a relação de locais e horários das mobilizações pelo país.
Ainda na agenda de combate às reformas, os presidentes das centrais devem ser recebidos em audiência no Senado para manifestar sua posição contrária às reformas nesta terça (27). As entidades já sinalizaram que pretendem realizar uma manifestação em Brasília (DF) na data da votação final da reforma trabalhista, ainda indefinida

Categorias

Nesta segunda-feira (26), os bancários de São Paulo se reuniram em assembleia na quadra do sindicato e decidiram por unanimidade paralisar as atividades.
Trabalhadores das refinarias, plataformas e centros de distribuição da Petrobras  também vão aderir à paralisação. A decisão é resultado da em assembleia da Federação Única dos Petroleiros (FUP) realizada na última quinta-feira (22). A greve da categoria, que começa nesta sexta, deve se estender por tempo indeterminado nas refinarias contra o desmonte da estatal.
Os metroviários de São Paulo e os trabalhadores dos Correios também indicaram apoio ao dia de greves e protestos das centrais sindicais.  

Pautas

Raimundo Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares, que integra a Frente Brasil Popular, indica que as pautas são as reformas do governo Michel Temer, em especial as mudanças na Previdência e na legislação trabalhista. "Como os movimentos estão juntos, os atos [de rua] incluem a questão da saída de Temer e a convocação de eleições diretas”, afirma. 
Para Edson Carneiro, secretário-geral da Intersindical e integrante da Frente Povo Sem Medo, é necessário derrotar politicamente o governo para que as reformas sejam vencidas. 
“Pelo que estamos acompanhando, o Senado até pode votar antes a matéria da [reforma] trabalhista, mas não em plenário. A expectativa é que a votação em plenário se dê depois, na primeira ou segunda semana de julho. Esperamos realizar um grande dia de luta, apontando que a manutenção de Temer ou a substituição por eleição indireta significam a agenda de desmonte de direitos, proposta pelo grande capital”, avalia.

Pressão

Para Carneiro, as manifestações populares já têm surtido efeito sobre o Congresso. Um exemplo seria a rejeição da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal, por 10 votos a 9:
“Na votação da CA, houve votos contrários ao relatório de Ricardo Ferraço [PSDB-ES] até de senadores da sua própria legenda. Alguns parlamentares da base do governo votaram contra o governo. Isso aponta que a mobilização social, principalmente a greve geral do dia 28 de abril e a ocupação de Brasília em 24 de maio, surtiu efeito. Claro que isso também está combinado com a crise do governo, que vai perdendo as condições de se sustentar”, analisa. 
Lista de atos pelo país
Acre
Rio Branco

Palácio do Governo do Estado às 8h
Alagoas
Maceió

Praça dos Martírios às 10h
Delmiro Gouveia

Coreto às 6h    
Arapiraca

Praça Luis Pereira Lima às 13h30    
Amazonas
Manaus

Praça do Congresso às 8h
Amapá
Macapá

Praça da Bandeira às 8h    
Bahia
Salvador

Iguatemi às 6h

Campo Grande às 15h
Ceará
Fortaleza 

Praça da Bandeira às 9h
Iguatu

Caixa Economica às 7h30
Distrito Federal
Brazilandia    

Estacionamento da BRB às 8h
Paranoá    

Avenida Central às 9h
Taguatinga    

Praça do Relógio às 9h
Planaltina

Terminal Rodoviário às 9h
Valparaíso        

Câmara Municipal às 8h
Formosa

Praça Anisio Lobo às 8h
Espírito Santo
Vitória

Assembleia Legislativa (ALES) às 12h
Goiás    
Goiânia    

Cívica às 8h
Maranhão
São Luís

Frente ao Porto de Itaqui às 6h30 
Mato Grosso
Cuiabá

Praça Ipirança às 15h                        
Rondonópolis

Praça Brasil e Praça dos Carreiros às 8h                        
Sinop

Praça da Bíblia às 7h
Mato Grosso do Sul
Campo Grande

Praça Ary Coelho às 9h
Minas Gerais
Belo Horizonte

Praça da Estação às 9h
Uberlândia

Praça Ismene Mendes às 16h
Viçosa    

4 Pilastras às 16h
Paraná
Curitiba 

Boca Maldita às 17h
Foz do Iguaçu 

Bosque Guarani às 8h  
Araucária    

Prefeitura às 8h30
Cascavel    

Núcleo Regional de Educação às 10h
Guarapuava    

Praça 9 de Dezembro às 8h30
Londrina

Calçadão às 9h
Paranavaí    

INSS às 9h
Ponta Grossa

Praça Barão de Guaraúna às 8h30
Paranaguá

Praça 29 de julho às 16h
Maringá    

INSS às 9h
Pará
Belém

Praça da República às 11h
Marituba

Entrada da Alça Viária às 7h
Marabá

Estádio Zinho Oliveira às 7h30
Santarém        

Praça São Sebastião
Altamira    

Mercado Municipal às 8h 
Paraíba

    

João Pessoa

Lagoa às 12h
Pernambuco
Recife 

Praça do Derby às 15h
Petrolina  

Praça do Bambuzinho às 8h30
Piauí
Campo Maior

Praça Luis Miranda às 10h
Teresina

Praça Rio Branco às 8h
Picos

Fórum às 7h
Rio Grande do Norte
Natal

IFRN às 15h
Mossoró

Igreja do alto de Sao Manoel às 15h
Rio de Janeiro
Rio de Janeiro

Candelária às 17h
Rondônia
Porto Velho

Praça das Três Caixa d'água às 8h
Roraima
Boa Vista

Bloqueio da Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes às 6h
São Paulo
São Paulo 

Aeroporto Congonhas às 8h

MASP às 16h
Sorocaba

Praça Coronel Fernando Prestes às 9h
Guarulhos    

Aeroporto  às 4h30    
São Bernardo do Campo    

Sindicato dos Metalúrgicos às 9h
Ribeirão Preto    

Rua Alvares Cabral às 9h
Mogi das Cruzes    

Praça Marisa às 6h
Santos        

Avenida Presidente Wilson às 6h
Jundiaí        

15 de novembro às 9h
Bauru    

Avenida Rodrigues Alves às 6h 
Campinas    

Largo do Rosário às 17h
São Carlos    

Praça Santa Cruz às 7h
São José do Rio Preto    

Terminal Urbano às 17h
Araraquara    

Praça Santa Cruz às 7h
Santa Catarina
Florianopolis

Ticen às 15h
Chapecó

Trevo da BR 282 às 9h
Lages    

Praça João Costa às 16h30
Caçador

Largo Caçanjure às 9h
Blumenau

Praça Victor Conder às 13h30
Campos Novos    

BR 282 às 8h
Rio do Sul

Praça da Catedral às 9h
Itajaí    

Centro às 17h
Araranguá    

INSS às 8h
Sergipe
Aracajú

General Valadão às 14h
Tocantins
Palmas 

Avenida JK (Colégio São Francisco) às 8h

(*) com informações de Rafael Tatemoto
Edição: Camila Rodrigues da Silva e Vanessa Martina Silva
https://www.brasildefato.com.br/2017/06/26/greve-geral-confira-a-agenda-de-atividades-da-proxima-sexta-feira-30/

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger