15 de jun de 2017

Parque Nacional da Serra do Divisor é inscrito na Unesco como candidato a Patrimônio Mundial Natural

Parque Nacional da Serra do Divisor é inscrito na Unesco como candidato a Patrimônio Mundial Natural

Cachoeira Grande, no PNSD, do lado brasileiro. Foto: Marcos Vicentti
 Uma proposta de candidatura do Parque Nacional da Serra do Divisor (PNSD) a Patrimônio Mundial Natural foi apresentada pelo governo do Brasil na sede da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), em Paris. A região do PNSD é um divisor de águas das bacias hidrográficas do Médio Vale do Rio Ucayali (Peru) e do Alto Vale do Rio Juruá (Acre), com 846,6 mil hectares, criado em 1989 por decreto do então presidente José Sarney.

O diretor do Departamento de Áreas Protegidas do Ministério do Meio Ambiente, Warwick Manfrinato, que confirmou a informação, disse que a proposta, que já se encontra entregue ao processo de aceitação, demanda um ritual nas próximas semana. 

— Assim que a proposta for aceita para a análise poderemos disponibilizar uma cópia, uma vez autorizado pela Secretaria Executiva do Ministério do Meio Ambiente - acrescentou Manfrinato.

Os próximos passos inclui a aceitação pelo Centro do Patrimônio Mundial, dentro de um a dois meses, distribuição para a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN). A análise e missão de avaliação deve durar mais seis meses, mas é possível que a IUCN solicite a complementação de dados.

— A reavaliação pós missão in loco e devolução à Unesco deve durar mais seis meses. Em mais ou menos 18 meses, teremos o veredicto final do Comitê do Patrimônio Mundial - avalia Manfrinato.

Panorâmica do PNSD do lado brasileiro. Foto: Marcos Vicentti
Na semana passada, o ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, enviou ao ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, o documento que propõe à Unesco a candidatura do Parque Nacional da Serra do Divisor à Patrimônio Mundial Natural com o argumento de que “é uma área de extrema beleza, riquíssima biodiversidade e valores naturais incomensuráveis”.

Além de mencionar que compor a lista do Patrimônio Mundial Natural significa a “possibilidade de mais recursos de financiamento”, Sarney Filho lembra que o Itamaraty, órgão responsável pelo encaminhamento da proposta, solicitou a obtenção da "não objeção" do Ministério da Defesa com relação à candidatura, uma vez que o parque se localiza em região fronteiriça do pais.

— Consultada, a Chefia de Gabinete do Senhor Ministro da Defesa informou, a este
Ministério, que a referida "não objeção" deve ser solicitada ao Conselho de Defesa Nacional, com o que aquiesço. Ressalto, entretanto, que o reconhecimento de uma área como Patrimônio Mundial da Unesco não implica em restrições à Defesa Nacional e não acarretará qualquer problema para a segurança do país - escreveu Sarney Filho.

O PNSD está Localizado na fronteira do Brasil com o Peru e abrange áreas dos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Valter e Marechal Thaumaturgo. A vegetação é composta de dois grandes Sistemas Ecológicos Regionais: Floresta Ombrófila Densa e Floresta Ombrófila Aberta, com exemplares de palmeiras, cipós, bambus, orquídeas, e a presença da típica vitória-régia e muitas flores coloridas.

De acordo com pesquisadores, a fauna do PNSD é muito rica e já foi registrada a presença de 1.233 espécies animais, dos quais 90 são considerados de valor especial para a conservação (76 de vertebrados e 14 de invertebrados).

Ele abriga exemplares ameaçados de extinção como o macaco uacari-vermelho, mico-do-cheiro, onça-pintada, anta, preguiça, quati, tartaruga tracajá, boto-vermelho, tamanduá-bandeira, lontra, tatu-canastra, macaco-cara-de-sola, pacarana, jabuti, jacaré-tinga, além das 100 espécies de anfíbios, 30 de répteis, 14 de primatas, 55 de morcegos, 400 de aranhas e insetos, bem como as 64 espécies de abelhas. A avifauna apresenta cerca de 500 exemplares, como o papagaio, e o araçari-castanho, típico peixe-boi que é um grande mamífero aquático da região.

Vizinho

PNSD do lado peruano em foto de divulgação do governo do Peru

Em 2015, o Parque Nacional da Serra do Divisor, no Acre, ganhou um vizinho com o mesmo nome: o governo peruano assinou o decreto criando o Parque Nacional Sierra del Divisor, com 1,3 milhão de hectares.

De acordo com o site O Eco, foram 9 anos de trabalho em prol da criação da unidade e muita mobilização, inclusive internacional. A organização internacional Avaaz, famosa por suas petições contra projetos danosos ao meio ambiente, fez campanha e conseguiu reunir mais de 1 milhão de assinaturas.

Até mesmo a banda mexicana de pop rock Maná, uma das mais famosas da América Latina, se envolveu na mobilização em prol da criação da unidade. A banda pediu pelo sua página de Facebook para a população mandar mensagens ao presidente do Peru pedindo a criação do parque:

"Amigos, por 20 anos o Peru tem postergado a proteção da Serra do Divisor -- uma das selvas com maior biodiversidade do mundo e onde o modo de vida dos indígenas está em perigo. Compartilhe essa publicação e exija a proteção da unidade na página de Facebook do presidente Ollanta Humala. Escrevam: Sr Presidente: os olhos do mundo estão postos sobre o Peru e é hora de declarar a Serra do Divisor como parque”.

Hás dois anos, o Parque Nacional da Serra do Divisor esteve sob ameaça, quando o governo Dilma Rousseff anunciou a construção de uma rodovia patrocinada pelos chineses. O trajeto da “Bioceânica” previa passar pelo parque e perto de aldeias indígenas.

Engenheiros chineses do setor ferroviário e três representantes do governo brasileiro chegaram a sobrevoar o Parque Nacional da Serra do Divisor. Visitavam as áreas por onde deveria passar a futura ferrovia Bioceânica, que ligará os produtores de matéria-prima brasileiros aos consumidores asiáticos por meio do Peru. No Acre, o maior entusiasta da “Bioceânica” é o senador Jorge Viana (PT-AC). Clique aqui e leia reportagem de Talita Bedinelli, do El País.

ATUALIZAÇÃO 10/02/2017

O governo brasileiro retirou a candidatura do Parque Nacional da Serra do Divisor (PNSD) a Patrimônio Natural. A proposta de candidatura, apresentada no final de janeiro na sede da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), em Paris, foi desaprovada pelo Conselho de Segurança Nacional e pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Para que que a proposta possa seguir em frente, o governo brasileiro teria que reenviar à Unesco, até segunda-feira (13), um novo posicionamento recolocando o PNSD para ser avaliado. Várias organizações ambientalistas, entre as quais a SOS Amazônia, sediada no Acre, estão empenhadas em tentar convencer o governo brasileiro a reconsiderar a decisão. Elas consideram atrasado o posicionamento do Conselho de Segurança Nacional e da Abin, pois impede uma iniciativa de conservação da área de maior importância em biodiversidade para o país, além de inviabilizar investimentos, empregos e valorização do território da região.

PNSD do lado peruano em foto de divulgação do governo do Peru

Beleza do Parque Nacional da Serra do Divisor em fotos de Marcos Vicentti, que esteve na região de 12 a 17 de janeiro de 2017








0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger