6 de ago de 2017

Crivella ajudou a sugar os recursos do Rio antes de virar prefeito. - Editor - O QUE FALTA, NA CLASSE POLÍTICA, COM RARAS EXCESSÕES, SÃO: PRINCÍPIOS, DIGNIDADE, POSTURA, PALAVRA EMPENHADA. O QUE SOBRA É FISIOLOGISMOS, INTERESSES PRIVADOS . 90% DOS ESTATUTOS PARTIDÁRIOS, SÃO MERAS CARICATURAS. ESTAMOS LONGE DE PRINCÍPIOS IDEOLÓGICOS, FILOSÓFICOS E TEMÁTICOS. PELA VALORIZAÇÃO DA POLÍTICA. PELO ESTADO LITERALMENTE LAICO.

Dizendo que Eduardo Paes gastou demais, o prefeito do Rio Marcelo Crivella tem anunciado cortes de todos os lados, de bilhete único à equipes de saúde. Porém, foi o próprio Crivella quem deu sinal verde para o endividamento da prefeitura de Eduardo Paes, como mostraremos a seguir.
domingo 6 de agosto| Edição do dia









O discurso do prefeito Marcelo Crivella de que Eduardo Paes gastou demais em sua prefeitura, em especial sabendo-se que determinadas obras foram feitas exclusivamente para beneficiar empreiteiros aliados como a ciclovia Tima Maia que desabou, por exemplo, é verdadeiro e demagógico, porque esconde a participação do próprio Crivella ajudando os políticos do Rio de Janeiro a aumentar as dívidas de suas gestões com aprovação no Senado de uma lei escrita por Anthony Garotinho.
Trata-se da resolução 2/2015 do Senado Federal, apresentada por Crivella e Rose Freitas (PMDB/ES). Esta resolução aumenta o teto de empréstimos dos estados e municípios que recebem royalties de petróleo dando como garantia a arrecadação futura de royalties destes. Outro que marcou presença neste dia foi Anthony Garotinho, a quem é atribuída a redação da lei.
A operação permitida por esta lei é mais uma especulação com as contas públicas, porque permite que o gestor tome como empréstimo o valor que "faltou" na arrecadação de royalties de petróleo somado à projeção da arrecadação futura de royalties. Por exemplo, se em 2015 a prefeitura arrecadasse menos que em 2014, esta diferença seria restituída pelo empréstimo junto a um adiantamento baseado em uma projeção da arrecadação futura. E o felizardo banco que aceitasse fazer esta operação poderia receber juros de até 10%!

Diga-me com quem andas...

Crivella e Paes são adversários, mas nem tanto. Apesar divergências pontuais e de Crivella não poder (por enquanto) ser incriminado pelos esquemas com empreiteiras do PMDB, todos eles se beneficiaram, Paes, Pezão, gestores dos municípios que recebem Royalties (por exemplo Campos dos Goytacazes, aonde Rosinha Garotinho era prefeita até 2016). E para os que são tão fiéis ao prefeito ao ponto de não crer que esteja envolvido neste projeto, basta uma dar olhada em seu próprio site eleitoral.
O discurso sobre os gastos que o próprio Crivella ajudou a criar não passa de mera demagogia para justificar os cortes no bilhete único, a demissão de 300 esquipes de saúde ou o congelamento dos concursos públicos sem nem mesmo chamar os aprovados pela prefeitura. Se não bastasse isso, ainda colocou a Guarda Municipal à serviço da repressão de Pezão durante a votação da privatização da CDAE, demonstrando claramente de que lado Crivella está.
Que PMDB fez uma farra com as contas do Rio em benefício das empreiteiras , dos bancos e dos especuladores. ninguém duvida. Inclusive hoje está preso como alvo de investigação o secretário de obras Alexandre Pinto do antigo prefeito, por cobrar propina nas obras do Rio 2016, Copa e etc.
Mas fazer com que os trabalhadores e o povo pobre carioca paguem por esta conta será unicamente a continuação pelas mãos de Crivella da política de Eduardo Paes na prefeitura do Rio. Os trabalhadores e o povo pobre, os negros que inflam as estatísticas do desemprego e dos assassinatos da polícia, devem se organizar de maneira independente para impor que sejam os capitalistas, os banqueiros, as empreiteiras e seus políticos que paguem pela crise com seus lucros, se unificando os os lutadores de todo o estado do Rio, que no momento estão pagando com suas vidas o lucro dos capitalistas.
http://www.esquerdadiario.com.br/Crivella-ajudou-a-sugar-os-recursos-do-Rio-antes-de-virar-prefeito

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger