28 de set de 2014

Conselho de Turismo do Mato Grosso do Sul elabora 22 diretrizes para candidatos ao Governo Estadual

Diretrizes foram traçadas por membros do Conselho Municipal de Turismo e  Fórum Regional de Turismo / Foto: Erik Silva
Diretrizes foram traçadas por membros do Conselho Municipal de Turismo e Fórum Regional de Turismo / Foto: Erik Silva
Corumbá (MS)- Com o intuito de colaborar com o plano de governo dos seis candidatos ao Governo do Estado de Mato grosso do Sul, o Conselho de Turismo de Corumbá junto com o Fórum Regional de Turismo do Pantanal, elaboraram um documento onde traçaram 22 diretrizes, que irá contribuir com o desenvolvimento turístico da região pantaneira e de todo Estado de Mato Grosso do Sul.


As diretrizes foram pautadas entre os órgãos que englobam os municípios de Corumbá, Miranda e Aquidauana. O documento foi encaminhado a todos os candidatos que concorrem ao pleito de 2014 concorrendo ao cargo de Governador do Estado, por meio de cartas e assinadas pelo COMTUR/Corumbá e Fórum Regional de Turismo do Pantanal.
FÓRUM REGIONAL DE  TURISMO DO PANTANAL
PROGRAMA DE GOVERNO / TURISMO PROPOSTAS DE DIRETRIZES PARA O TURISMO REGIÃO DO PANTANAL / ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL
ACESSO
1. Programar a estrutura do transporte aéreo estadual, conservando a estrutura já existente, prevendo a sua melhoria, contemplando a dinâmica da matriz econômica turística do Estado; 2. Planejar a consolidação das Rotas Turísticas – Estrada Transpantaneira (via que une as cidades de Poconé a Corumbá) e a Rota Bioceânica (via que une Corumbá a Santa Cruz de La Sierra);
3. Incentivar a implantação da linha de transporte terrestre turístico para a consolidação da Rota Turística Pantanal e Bonito;
4. Rediscutir a viabilidade e implementação de ações referentes ao Trem do Pantanal, junto aos governos – federal e estadual -, municípios turísticos pantaneiros (Corumbá, Miranda e Aquidauana), a empresa permissionária e a administradora do Trem.
INFRAESTRUTURA TURISTICA
5. Diversificar a oferta turística do Estado do Mato Grosso do Sul, priorizando a estruturação e ordenamento das Orlas fluviais estaduais, tendo como projeto piloto – Projeto Orla do Porto de Corumbá -, em conformidade com a Política de Turismo Náutico Nacional. Mais em: http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/secretaria_politicas/dpd/Grupo_nautico.html;
6. Diversificar a oferta turística do Estado do Mato Grosso do Sul, por meio da estruturação e/ou reestruturação e abertura para visitação das Áreas de Especial Interesse Turístico, Parques Naturais e Unidades de Conservação, com ênfase nas Regiões do Pantanal e da Serra da Bodoquena, em consonância com a Política de Turismo Nacional. Mais em: http://www.turismo.gov.br/turismo/noticias/todas_noticias/20140214-1.html;
7. Apoiar a produção de eventos voltados para a segmentação do Turismo de Aventura na Região do Pantanal, a exemplo do Pantanal Extremo realizado em Corumbá, que estimula as práticas esportivas, de aventura e natureza, potencializando os recursos naturais e culturais do Mato Grosso do Sul, estimulando uma nova oferta turística.
SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS TURÍSTICOS
8. Elaborar, padronizar e implementar um Plano de Sinalização Turística Bilíngue das principais vias e rodovias que cortam o estado do Mato Grosso do Sul, com atenção aos municípios das Regiões Turísticas do Pantanal e de Bonito/Serra da Bodoquena;
9. Reestruturar a infraestrutura geral e turística dos portões de entrada do Estado de Mato Grosso do Sul – fronteiras, com especial atenção ao Portão Internacional do Brasil reconhecido pelo Mtur – Brasil (Corumbá) x Bolívia (Puerto Quijarro).
POLÍTICAS PÚBLICAS
10. Criar o Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável – PDTIS – para as regiões turísticas estruturadas, com especial atenção a da Região Turística do Pantanal;
11. Criar uma Política Pública de incentivo fiscal para o fomento de segmentos turísticos prioritários e potenciais do estado do Mato Grosso do Sul, tais qual o ecoturismo, o turismo de aventura e a pesca esportiva;
12. Desenvolver uma Política Pública para a implantação do Programa de Turismo Sustentável da Pesca Esportiva no Mato Grosso do Sul, que considere os pescadores profissionais, amadores e artesanais e comunidades ribeirinhas, num modelo de gestão participativa e competitiva capaz de promover o desenvolvimento da Região do Pantanal e a preservação do seu patrimônio socioambiental (exemplo da Amazônia: http://www.barcelos.am.gov.br/noticias/64-programa-e-fundo-de-apoio-ao-desenvolvimento-sustentavel-da-pesca-esportiva-1-parte);
13. Criar uma Política Estadual que institua o “ICMS Turístico”, visando estimular a formatação/implantação, por parte dos municípios, de programas e projetos voltados para o desenvolvimento turístico sustentável, em especial os que se relacionam com as políticas para o turismo dos Governos Estadual e Federal (exemplo do governo de Minas Gerais, em: http://www.turismo.mg.gov.br/icms-turistico );
14. Contemplar as Áreas de Especial Interesse Turístico/Estradas Parques Estaduais no rateio do “ICMS Ecológico” (lei complementar n.º 77/94, que deu nova redação à lei complementar n.º 57/91);
CONSELHO MUNICIPAL DE
TURISMO DE CORUMBÁ
FÓRUM REGIONAL DE
TURISMO DO PANTANAL
15. Adotar uma Política Pública Estadual de competitividade dos destinos turísticos do Mato Grosso do Sul,
em conformidade com a Política Nacional de Turismo, objetivando a priorização de investimentos e criação e/ou
implementação de políticas públicas
(http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/publicacoes/cadernos_publicacoes/13estudos.html );
16. Rever a estrutura organizacional do turismo do estado do Mato Grosso do Sul, criando a Secretaria de
Turismo do Estado, com a responsabilidade institucional de planejar, coordenar, implementar, acompanhar e
avaliar as políticas, planos, projetos e programas para o desenvolvimento do turismo estadual;
17. Manter a Fundação de Turismo do Estado, dentro de uma visão economicista, para atuação exclusiva de
posicionamento e promoção do turismo do estado do Mato Grosso do Sul no mercado, adotando uma identidade
organizacional voltada unicamente à promoção, política de relacionamento, captação de eventos nacionais e
internacionais e orientação para formatação e qualidade do produto turístico do Mato Grosso do Sul, em escala
nacional e internacional. (exemplos: Bahiatursa, São Paulo Turis, RioTur).
MONITORAMENTO
18. Ampliar e estruturar o setor de monitoramento da atividade turística – Observatório de Turismo do Estado
do Mato Grosso do Sul-, de forma que contemple as pesquisas de demanda; pesquisas de oferta; sistema de
estatísticas do turismo; medição dos impactos da atividade turística e; setor específico de estudos e pesquisas (a
exemplo da Bahia e São Paulo, em: http://www.observatoriodoturismo.com.br ).
MARKETING
19. Elaborar o Plano de Marketing do Turismo do Estado do Mato Grosso do Sul, objetivando ampliar e
diversificar a promoção de destinos e de novos produtos turísticos do Estado nos mercados do estado, nacional
e internacional;
20. Modernizar a promoção e divulgação dos destinos e atrativos turísticos do Mato Grosso do Sul, com
estratégias e ferramentas tecnológicas que facilitem a escolha, estada e a permanência dos turistas nos destinos
turísticos estaduais (ex: aplicativos móveis, totens eletrônicos, home page promocional, etc);
21. Redefinir a política formal da participação do Mato Grosso do Sul em feiras e eventos nacionais e
internacionais, para a divulgação dos atrativos e para a comercialização de roteiros regionais;
22. Reestruturar e/ou revisar os roteiros turísticos de Mato Grosso do Sul de acordo com a política de
promoção e marketing do Ministério do Turismo e EMBRATUR
www.capitaldopantanalcom.br

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger