29 de jul de 2015

Qual é a chave para o sucesso do turismo no Ruanda?

-

O turismo no Quénia está a cair. No Uganda e na Tanzânia, também. E o Burundi, que chegou a chamar centenas de milhares de viajantes, também parece ter perdido o interesse que tinha aos olhos dos turistas (aqui sobretudo devido à instabilidade política). Mas, no Ruanda, tudo é diferente. O turismo nem sequer estagnou – na verdade, tem aumentado. E a pergunta que se põe é: porquê?
O número de visitantes aumenta todos os anos - graças à estabilidade política mas também aos investimentos públicos e privados no setor
(DR)
O turismo do Ruanda, escreve o portal eTurboNews, é um caso de sucesso. Todos os anos o número de visitantes aumenta. A estabilidade política pode ser um dos motivos para tal; por outro lado, as medidas de segurança adotadas têm sido muito bem-sucedidas. As lideranças revelam-se fortes e a tolerância com a corrupção é zero. Estes elementos compõem um bom conjunto, que faz da «Terra das Mil Colinas» o destino favorito na região, ultrapassando todos os vizinhos. Por outro lado, as políticas de conservação da natureza, dos nativos e das tradições são também um ponto forte, com a cobertura florestal a aumentar por todo o país – e levando, por exemplo, a Gishwati a passar do status de floresta nacional para o de parque nacional já no próximo ano.
Paralelamente, os dados do Departamento de Desenvolvimento do Turismo e Conservação do governo ruandês também são notáveis.
O Parque Nacional de Akagera, o único parque de savana do país, gerido em parceria pela African Parks e pelo Quadro de Desenvolvimento do Ruanda (RDB), continua a ser o parque mais visitado do país, com um crescimento de 4% no número de visitantes em 2014 (relativamente a 2013). Ainda assim, a maior taxa de crescimento está no Parque Florestal Nacional de Nyungwe, com mais 30% de visitantes em 2014 – logo seguido pelo Parque Nacional Volcanos, com um aumento de 11% no número de visitas.
Deste modo, as receitas destes três parques subiram para os 16,8 milhões de dólares em 2014, numa subida de 19% em relação a 2013 (14,1 milhões).
Mais notório, no entanto, foi o aumento constante do número de visitantes nacionais nos parques do país, que em 2014 foram 18 223 (em 2013 tinham sido 16 646). Isto prova que a campanha feita pelo RDB para chamar visitantes nacionais teve um impacto extremamente positivo.
Abordagens criativas, como a construção, há alguns anos, de um caminho de floresta coberto no Parque Nacional de Nyungwe, ajudaram a explorar ainda mais o potencial dos espaços naturais do país. Ainda no Nyungwe, foram criadas áreas com pássaros no exterior dos limites do parque, com o apoio das comunidades da zona, e isso também levou a um aumento do número de visitantes.
Paralelamente, o cada vez maior número de turistas que visita o Ruanda leva a que, por seu lado, grandes cadeias hoteleiras mundiais estejam a construir hotéis no país. Alguns abriram recentemente, e, entre os já abertos e os que serão inaugurados em breve, sabe-se que isso terá um impacto francamente positivo para os cofres nacionais – cimentando o turismo como o elemento «número um» nas contas ruandesas.
Redação  http://www.africa21online.com/artigo.php?a=15542&e=Turismo#sthash.UjHJq41h.dpuf
http://www.africa21online.com/artigo.php?a=15542&e=Turismo#sthash.UjHJq41h.dpuf

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger