31 de mar de 2016

Os paradigmas das eleições municipais de 2016 Otavio Demasi


A mudança politica começa na base, no municipio e isso será verificado nas eleições para prefeitura e camara de vereadores, neste ano de 2016, onde a não aceitação do resultado das urnas a presidente da república, levou o país a uma estagnação e evidentemente, isso reflete na base da nação que sãos os municipios, onde a economia circula, onde se perde o emprego, onde a saúde acontece, a falta de qualquer serviço, bate direto no povo, esse mesmo povo que vendo o que acontece, precisa e deve escolher pelo caminho democrático das urnas seus novos representantes.
O que os fatos mostram no contexto nacional, também ecoa nos municipios e essa reordenação politica participativa de grande maioria, que nunca aderiram a politica como fato concreto no seu dia-a-dia e muito menos são filiados a partidos politicos, acordam e querem a seu modo e jeito influirem e querem ser ouvidos, embora em sua maioria descrente nos politicos, mesmo sabendo que a estruturação da democracia passa por todo esse rito partidario que desagua a cada dois anos nas eleições.
Novos paradigmas estão surgindo, se assim pode-se classificar e o eleitor,hoje, ou melhor de algum tempo, possui novos ferramentais tecnologicos que lhe  possibilita conhecer outras fontes de informação, alem de conseguir acessar um amplo espectro de pessoas e de opiniões, deixando de lado, até nos municipios menores o famoso cabresto.
Nota-se também que na maioria dos grotões de nosso país, muita gente com baixa renda, conseguiu galgar os patamares da educação e chegaram a faculdade ou universidade e com isso influindo em muito em sua cidade de origem, além de outras mudanças substancias na economia, cultura, na relação de trabalho, na melhoria da renda, no descortinio do turismo, lazer, compras e outras atividades como a ampliação da leitura, criando assim, mesmo sem um processo de aprendizado politico sistemico educacional, uma nova massa critica.
Caberá aos novos representantes municipais, onde se alicerça toda a vida da nação, ter ousadia, incentivar mais ainda a participação coletiva, buscar a inovação, seja na gestão pública, seja quanto as potencialidades e vocações do municipio e muita transparencia, além de ações regionalizadas que maximizem os recursos em geral, sejam naturais , humanos, economicos, teccnologicos ou cientificos, harmonizando e reduzindo custos e tempo na solução de problemas comuns, acima de qualquer divergencia politico-partidária e enfatizar ações concretas para impulsionar a microeconomia, ampliando renda, geração de emprego, empreendedorismo, turismo participativo,cultura de massa, contando sempre e continuamente com a participação fundamental de Vereadores que legislem junto com a comunidade e com os interesses das maiorias e também em favor das minorias organizadas.
A escolha é fundamental, pois fala-se de corrupção, mas quanto de nós tem a certeza de que o gasto de combustivel mensal do municipio é aquele que esta na nota fiscal, quantos e quantas de nós ja verificou se a merenda escolar é a mesma que esta descrita em qualidade, quantidade , justamente servida para os futuros esteios do pais, nossos filhos e filhas, sobrinhos e sobrinhas, netas e netos. Quantos de nós já  sabe exatamente quanto exatamente de lixo e coletado diariamente, pois isso é cobrado. Quantos de nos tem a certeza que os holerites emitidos todos os meses,, são de funcionarios reais e não fantasmas.
De outra parte, cabe ao eleitor, achar que eleição é um momento de ganhar um extra e apoiar quem pode pagar. A atividade ou ação politica que nos leva a agir, precisa ser despretensiosa, precisamos ter conhecimento de quem está se candidatando e se realmente nos representara durante o mandato e alem do mais, se atuará de forma aberta, recebendo sugestões, participando da vida da coletividade e de seus problemas. A escolha certa é dificil, mas cabe antes de votar conhecer, quem é quem e decidir o mais acertadamente.
Embora toda essa panacéia surgiu por um suposto combate a corrupção, ela trouxe novamente a população para as ruas, visando reivindicar e primordialmente participando, mesmo sabendo que interesses escusos estão em jogo. A inércia saiu de cena e pode-se conhecer a cara de cada um e que posição tomou e isso facilitará na escolha nas eleições municipais, de tal modo, que com maior argúcia, poderemos escolher melhor nossos representantes municipais.
Ilustração www.tse.jus.br 


0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © . ODTUR - Otavio Demasi: Turismo e Políticas Públicas - Posts · Comments
Theme Template by BTDesigner · Powered by Blogger